Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

dear cinema

Críticas simples e curtas.

Shame (2011)

por rita ralha, em 05.03.12

Sem me deixar render ao Fassbenderismo que este ano tem andado por aí que nem epidemia, deixo escrito que Shame transmite sem pudor, mas sem sujidade a vergonha e descontrolo de too much sexual desire e que o Fass e a Carey são os proximos reis do baile de Hollywood.

7/10